Sobre

Considerações conceituais
Em meu trabalho procuro encontrar estratégias de descondicionamento visual e motor, artifícios de sensibilização do corpo, exigindo do observador uma locomoção pelo espaço num estado maior de atenção.
Os trabalhos trazem à tona toda a sutileza e a impermanência das relações que nos constituem, e que nos rodeiam, sejam essas sociais ou econômicas, o próprio corpo, ou o próprio espaço. Trazem a “afirmação” de que nós e tudo que nos co-habita é instável, e que estruturas são sistemas de equilíbrios frágeis e inconstantes. Pois corpos e espaços são como processos produtores de conhecimento e, ao mesmo tempo, processos inconstantes e indetermináveis.
Então, a construção da maioria dos trabalhos aqui apresentados evocam instabilidades físicas para desestabilizações ideológicas, propõem uma ação confrontadora diante de perspectivas dominantes e resignações pessoais, construindo pequenos “ataques” subjetivos, apontamentos poéticos, entendendo também a impermanência de sua temporalidade.
Assim, a instância política é poética, entendo o espaço como uma categoria produtiva, um acontecimento, o local das transformações sociais e não um fundo à priori homogênio ou heterogênio, onde as ações se estabelecem. Esses pensamentos estão em obra isentos de palavras, mas atuantes dentro do campo sensível da micropolítica da estética.

Conceptual considerations
In my work I try to find unconditioning strategies to visual and motor sense, traps established as sensorial artifices to provoke the body of the other, demanding from the observer a greater state of attention while moving through the space, so as the perception gets sharper and the body gets awake.
These works brings out the subtleties and impermanence of relationships, which constitute us, and encircle us, whether they are social or economic, and relate to the body itself, or to the space. To affirm that we, and everything that co-inhabits us is unstable, and that structures are also fragile and unbalanced systems, whatever the structure is. Because the body and space are a process of producing knowledge and, at the same time, unstable and undeterminable.
So my works propose a confrontational action against dominant economic perspectives and personal resignations, building a subjective resistance with poetic targets, which lend to an understanding of impermanence, of temporality and the construction of a space as an event.
Therefore, the political instance of this works will be poetic, not exactly in a descriptive or accusative platform but in a relevant insertion of aesthetic thought. And this thought can be free of words, but will act in the sensitive field of the micropolitic of aesthetic.